PATRONO

Oscar Lorenzo Fenândez nasceu no Rio de Janeiro em 04 de novembro de 1897, vindo a falecer no dia 27 de agosto 1948, aos 50 anos.

Filho de pais espanhóis, ainda rapaz começou a tocar nas festas dançantes do centro galego. Deixou a faculdade de medicina para seguir o seu impulso criador musical, tendo ingressado na escola nacional de música (Universidade Federal) em 1917. Após um curso de raro brilhantismo em 1923, substituía seu mestre na cátedra de harmonia, contraponto e fuga e composição.

Aos 20 anos, estreia no cenário artístico internacional, tirando o 1.º prêmio com a sua composição “Trio Brasileiro”, que mereceu de Mário de Andrade a seguinte crítica " O trio brasileiro revela um artista em plena posse e emprego de sua personalidade poderosa." Nele, Lorenzo Fernândez, inteiramente convertido nos tipos melódicos e rítmicos nacionais, criou uma obra de suma importância que não só marca a etapa definitiva de sua carreira como serve para marcar uma data na evolução musical brasileira.

É vastíssimo o catálago de suas obras, sinfônicas, camerísticas e para canto, piano, etc. Representou o Brasil várias vezes no exterior como regente à frente de várias orquestras e como conferencista. Sempre esteve na liderança de associação coletivas como a sociedade de cultura musical, academia brasileira de música. Foi fundador da revista ilustração musical. Foi, com Villa-Lobos, fundador do Conservatório Brasileiro de Música no Rio de Janeiro, onde imprimiu com sua força, dianamismo e brilho o êxito dessa instituição educacional que se mantém na liderança artística nacional há mais de 50 anos. Pelo Conservatório Brasileiro de Música, passaram grandes nomes de compositores e intérpretes fazem a história da música brasileira dos nossos dias.

Lorenzo Fernândez casou-se com Irene Sotto e deixou dois filhos, Oscar e Marina. Seu sucesso maior foi o do reisado do pastoreio, suíte em três partes que contém o famoso batuque que encantou Toscanini e Koussevitzky.

O Conservatório Estadual de Música Lorenzo Lornândez, inaugurado em 14 de março de 1961, foi nomeado em sua homenagem.

Como professor e educador, deixou saudades. Como criador, permanece vivo.

 

Marina Helena Lorenzo Fernândez Silva


Nasceu na cidade do Rio de Janeiro, no dia 08 de fevereiro de 1926, filha do maestro e compositor Oscar Lorenzo Fernândez e Irene Sotto. Casou-se com Joaquim Alves da Silva, indo fixar residência na cidade de Montes Claros em 1947, onde o marido possuía uma Concessionária da FORD. Foi o 1º casal considerado Cidadãos Montesclarenses.

Mãe de quatro filhos: Ricardo, Eduardo, Maria Antonieta e Irene, alguns seguiram seus passos na música.

Professora de piano ficara, empolgada com o alto nível e musicalidade dos montesclarenses, surgindo assim, a ideia de fundar um conservatório. Contando com o apoio de senhoras da sociedade e com ajuda do então prefeito da época Dr. Simeão Ribeiro Pires, em 14 de março de 1961 funda o Conservatório Municipal de Música, que leva o nome do seu pai (Oscar Lorenzo Fernândez) e, em 1962, é estadualizado.

À frente do conservatório, com pulso forte e com ajuda das fundadoras, realiza trabalhos maravilhosos e de grande valor para cidade, criando sempre propostas de inovação e motivação através da arte. Mulher dinâmica, à frente do seu tempo, que vê perspectivas de mudanças no ser humano através das realizações artísticas.

Após contribuir com o enriquecimento artístico-cultural da cidade e região, aposenta-se em 1987, indo fixar residência no Rio de janeiro, para assim tomar conta do Conservatório Brasileiro de Música, fundado pelo seu pai.